A Economia das Crises: Um curso-relâmpago sobre o futuro do sistema financeiro internacional

A Economia das Crises: Um curso-relâmpago sobre o futuro do sistema financeiro internacional, vale a pena comprar?

De R$44.90
Por R$26.90
Desconto 40.09%

Atenção! Esta oferta termina dentro de 12 dias ou até durarem os estoques.

Pegar oferta!

Visão Geral

RELANÇAMENTO: Conhecido como ‘Dr. Apocalipse’, Nouriel Roubini eletrizou a comunidade financeira mundial ao antever a última crise muito antes de qualquer outro especialista. Ao contrário dos profissionais da área, Roubini não trata os desastres econômicos como eventos extravagantes, singulares e isolados, sem causa nítida. Décadas de pesquisas em todo o mundo lhe permitiram constatar que eles são previsíveis e passíveis de prognóstico. Fundamentado em uma combinação nada convencional de análise histórica com economia global, Roubini tem forçado políticos, autoridades monetárias, investidores e analistas do mercado financeiro a encarar uma verdade sempre negligenciada: os sistemas financeiros são inerentemente frágeis e propensos ao colapso.

Ao compararem crises em diversos países e épocas, Nouriel Roubini e Stephen Mihm mostram que os cataclismos financeiros são tão antigos e onipresentes quanto o capitalismo. Ao longo das últimas duas décadas testemunhamos fenômenos semelhantes em países tão diversos como o México, a Tailndia, o Brasil, o Paquistão e a Argentina. Todas essas crises — sem mencionar um marco mais devastador como o impacto da Grande Depressão — têm muito em comum com o último declínio.

Os autores usam os exemplos do passado para estabelecer ligações com as dificuldades do presente. Ensinam a reconhecer e atacar a instabilidade do sistema financeiro global; a entender os pontos fracos e extrair lições de episódios anteriores como a “exuberncia irracional”; a detectar o curso do fenômeno de contágio global, e a traçar planos de curto prazo. Talvez o mais importante, Roubini e Mihm explicam como a economia mundial pode sair da confusão em que está, e manter-se fora disso. Obra vital e perene, A economia das crises prova que essas calamidades podem ser não apenas previstas, mas evitadas, e com o tratamento correto, sanadas.